Docentes do PPGL

ADAIR BONINI [Lattes] [adair.bonini@gmail.com] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Minhas investigações recentes têm enfocado o estudo de gêneros do discurso em uma abordagem crítica (neomarxista), envolvendo uma teorização a partir de pressupostos de Norman Fairclough, Paulo Freire e Mikhail Bakhtin. Coordeno dois projetos de pesquisa. O projeto “Jornal escolar digital, políticas de ensino de práticas jornalísticas e a aprendizagem crítica”, desenvolvido com bolsa de Produtividade em Pesquisa PQ2 do CNPq, tem por objetivo analisar experiências de produção de jornais escolares digitais, considerando as políticas de ensino de práticas jornalísticas que regem essas experiências e os potenciais para a ação crítica que esse trabalho oportuniza. Já o projeto “Análise crítica de gêneros e políticas de ensino de práticas de linguagem” busca: a) contribuir para a reflexão acerca de problemas sociais perpassados pela linguagem, envolvendo questões identitárias, relacionais e representacionais; b) aperfeiçoar a metodologia de pesquisa da Análise Crítica de Gêneros; e c) entender como explicações dominantes e não dominantes das práticas de linguagem ganham lugar em políticas de ensino e aprendizagem, mediante o estudo de dispositivos reguladores (currículos, livros didáticos, manuais práticos, programas educativos etc.). Sou membro do NELA – Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada da UFSC.

Perfil

Sou graduado em Letras-Português pela Universidade Estadual de Maringá (1992), com doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999), e pós-doutorado em Análise do discurso e glotopolítica pela Universidade de Buenos Aires (2018) supervisionado por Elvira Arnoux. Além do PPGL tenho atuado também no Mestrado Profissional em Letras, no curso de letras-português (principalmente com as disciplinas de Linguística Aplicada e Análise do discurso) e em outros cursos de graduação da UFSC com a disciplina de Práticas de leitura e produção textual na esfera acadêmica.

Principais publicações

BONINI, Adair. Las políticas de enseñanza de prácticas periodísticas y la producción de periódicos escolares en Argentina y Brasil. Signo y seña, n. 35, p. 107-126, 2019. Disponível em: http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/sys/article/view/6940/6171

BONINI, Adair; ROCHA, Claudia Hilsdorf; GONZALEZ, Fernando Jaime; KLEBER, Magali Oliveira; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo; MACIEL, Ruberval Franco. Formação de professores do ensino médio, Etapa II – Caderno IV – Linguagens. (Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio). Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Curitiba: UFPR / Setor de Educação, 2014. 47p. Disponível em: http://www.observatoriodoensinomedio.ufpr.br/wp-content/uploads/2014/03/Caderno-IV-LINGUAGENS-FINAL.pdf

BONINI, Adair; SOARES, Vanessa Arlésia Ferretti Soares; SILVA JUNIOR, Carlos Borges; LIMA, Vanessa Wendhausen (Org.). Os gêneros do jornal. Florianópolis: Insular, 2014. 256p.

BONINI, Adair. Análise crítica de gêneros discursivos no contexto das práticas jornalísticas. In: SEIXAS, Lia; PINHEIRO, Najara Ferrari (Org.). Gêneros: um diálogo entre comunicação e Linguística Aplicada. Florianópolis: Insular, 2013. p. 103-120.

BAZERMAN, Charles; BONINI, Adair; FIGUEIREDO, Débora de Carvalho (Org.). Genre in a changing world. Fort Collins; West Lafayette: The WAC Clearinghouse; Parlor Press, 2009. 504p. Disponível em: http://wac.colostate.edu/books/genre/genre.pdf

MEURER, José Luiz; BONINI, Adair; ROTH, Désirée Motta (Org.). Gêneros: teorias, métodos, debates. 1São Paulo: Parábola Editorial, 2005. 295p . (4ª reimpressão, julho de 2014).

Interesses

Meus interesses de pesquisa contemplam os gêneros do discurso, o discurso, o ensino e a aprendizagem de Língua Portuguesa, e a pedagogia crítica, focalizando a linguagem em termos da participação social crítica e da reflexão sobre superação de desigualdades sociais, principalmente, dentre outros, no que tange ao tema da democratização da comunicação.


Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão [Lattes] [adja@pq.cnpq.br] [Bolsista PQ2/CNPq]


ALINE PIZZIO [Lattes] [alinelemospizzio@gmail.com]

Pesquisa

Atualmente coordeno o Grupo de Estudos Linguísticos da Libras (GELL) e participo do Corpus de Libras, ambos cadastrados no diretório do CNPq. Minha pesquisa atual está relacionada ao mapeamento de teses e dissertações na área de linguística das línguas de sinais em programas de pós-graduação no país. Paralelamente, atuo no desenvolvimento do Banco de Sinais da Libras, como parte do projeto de Documentação da Libras. Além disso, estou iniciando o desenvolvimento de um projeto voltado para a de aquisição de língua de sinais como segunda língua. Tenho experiência na área de Linguística, com ênfase em linguística das línguas de sinais, atuando principalmente nos seguintes temas: aquisição de línguas de sinais, tanto L1 como L2, estudos linguísticos da Libras, principalmente aqueles voltados para a morfologia e sintaxe, bilinguismo e educação de surdos.

Perfil

Sou bacharel em Fonoaudiologia pelo Instituto Metodista de Educação e Cultura (1997) e licenciada em Letras Língua Portuguesa e Inglesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2002). Fiz meu mestrado (2006) e doutorado (2011) em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina, desenvolvendo pesquisas relacionadas à Língua Brasileira de Sinais (Libras). Sou professora da Universidade Federal de Santa Catarina desde 2010 e atuo no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC, na linha de pesquisa Língua Brasileira de Sinais, desde 2016.


ANA LÍVIA AGOSTINHO [Lattes] [a.agostinho@ufsc.br]

Pesquisa

Tenho interesse no papel do contato linguístico na mudança de gramática em línguas crioulas e em linguística de contato em geral.

Meu projeto de pesquisa atual se concentra na descrição e análise de aspectos da gramática das línguas crioulas e do português faladas no Golfo da Guiné, principalmente em fonologia. Atualmente, estou trabalhando no sistema suprassegmental do lung’Ie, falado na ilha do Príncipe, São Tomé e Príncipe, em relação às categorias de tom e acento lexicais.

Também tenho interesse em planejamento e política de idiomlinguística relativos às línguas crioulas de São Tomé e Príncipe, e tenho trabalhado em oficinas para os professores de Lung’Ie e em publicações voltadas para a comunidade, tais como um método pedagógico (Agostinho & Araujo, no prelo), um dicionário Lung’Ie-Português / Português-Lung’Ie (Agostinho & Araujo, em preparação).

Perfil

Tenho doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2014), com um período sanduíche na Universidade de Indiana em 2012. Sou especialista em Fonologia e Linguística de Contato, tendo trabalhado principalmente com as línguas crioulas do Golfo da Guiné e com o português falado em São Tomé e Príncipe, onde realizo trabalho de campo desde 2009.

Sou co-editora da Revista PAPIA (Revista Brasileira de Linguística de Contato) desde 2015 e secretária da ABECS (Associação Brasileira de Linguística de Contato). Atualmente, estou realizando Pós-Doutorado no Departamento de Linguística da Universidade da Califórnia, Berkeley.

Interesses

Fonologia, línguas crioulas, linguística de contato, fonética, Golfo da Guiné, planejamento e política linguística em São Tomé e Príncipe, português de São Tomé e Príncipe, variação e mudança.


ANA CLÁUDIA DE SOUZA [Lattes] [anacs3@gmail.com]

Pesquisa

Desde 2019, desenvolvo o projeto de pesquisa “Métodos de investigação em leitura no Brasil”. Investigo fundamentalmente aspectos relativos ao processamento, à compreensão e à pesquisa em leitura, além de me dedicar ao estudo da formação do leitor e do formador de leitores, o professor. Sou pesquisadora do Núcleo de Estudos em Leitura (NEL) – UFSC.

Perfil 

Sou licenciada em Letras-Português e inglês pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (1996). Fiz mestrado (1998) e doutorado (2004) na Pós de Linguística da UFSC. O mestrado, sob a orientação da Profa. Claudia Borges de Fáveri, foi desenvolvido na área da Fonologia, e o doutorado, em Psicolinguística, foi realizado sob a orientação da Profa. Loni Grimm-Cabral e coorientação do Prof. Cassio Rodrigues.  Realizei pós-doutorado em 2006 sob a supervisão do Professor Heronides Maurílio de Melo Moura, tendo estudado o processamento em leitura de textos metafóricos. Além de docente no PPGL, sou professora orientadora de estágio do Curso de Letras-Português da UFSC e atuo, portanto, diretamente em escolas públicas de educação básica.

Principais publicações

SOUZA, Ana Cláudia de; SEIMETZ-RODRIGUES, Cristiane; KRATOCHVIL, Claudia Finger; BARETTA, Luciane; BACK, Angela Cristina Di Palma (org.). Diálogos linguísticos para a leitura e a escrita. 1. ed. Florianópolis: Insular, 2019. v.1.

LAZZAROTTO-VOLCAO, Cristiane; SOUZA, Ana Cláudia; QUAREZEMIN, Sandra (org.). Dossiê especial: Aquisição da linguagem, Florianópolis, Fórum Linguístico, v. 16, n. 2, 2019. 106p.

SEIMETZ-RODRIGUES, Cristiane; SOUZA, Ana Cláudia de. Análise de “Ideias para ensinar português para alunos surdos”: Como fica o ensino da leitura?. Linguarum Arena, v. 10, p. 9-22, 2019.

SOUZA, Ana Cláudia de; CARVALHO, Margarete Gonçalves Macedo de. Professor- leitor: o que dizem as pesquisas brasileiras?, (Con)textos Linguísticos, v.13, n.26, p.156-175, 2019.

FLORES, Onici Claro; BARETTA, L.; SOUZA, A. C. (org.). Processamento e aprendizagem de leitura e de escrita. Santa Cruz do Sul, Signo, v.43, n.77, 2018.

SOUZA, Ana Cláudia de; WEIRICH, Helena Cristina; PROCAILO, Leonilda. A compreensão da argumentação linguística: hipótese de interação entre leitura e oralidade. Revista de Estudos da Linguagem, v. 25, n. 2, p. 873-901, 2017.

SEIMETZ-RODRIGUES, Cristiane; SOUZA, Ana Cláudia de. Ensino da leitura a surdos: o conhecimento do objeto de ensino e suas implicações para a prática pedagógica. Linguagem & Ensino (UFPel), v. 19, n. 1, p. 55-79, 2016.

SOUZA, Ana Cláudia de; HEINIG, Otilia Lizete de Oliveira Martins. Abordagens psicolinguísticas na pesquisa em leitura e escrita: instrumentos e procedimentos. Letras de Hoje, v. 50, p. 22-31, 2015.

SOUZA, Ana Cláudia de; GARCIA, Wladimir Antônio da Costa. A produção de sentidos e o leitor: os caminhos da memória. Florianópolis: Núcleo de Publicações CED, 2012.

SOUZA, Ana Cláudia; OTTO, Claricia; FARIAS, Andressa da Costa (org.). A escola contemporânea: uma necessária reinvenção. Florianópolis: Núcleo de Publicações CED, 2011.                         

Interesses

Processamento e aprendizagem em leitura. Compreensão leitora. Formação do leitor. Formação de professores para o ensino da leitura.

Textos para Download

Livro “Diálogos Linguísticos para a leitura e a escrita” 

Dossiê especial: “Aquisição da linguagem”

Artigo “Análise de “Ideias para ensinar português para alunos surdos”: Como fica o ensino da leitura?”

Artigo “Professor- leitor: o que dizem as pesquisas brasileiras?” 

Dossiê “Processamento e aprendizagem de leitura e de escrita”

Artigo “Abordagens psicolinguísticas na pesquisa em leitura e escrita: instrumentos e procedimentos” 


ANA PAULA SANTANA [Lattes] [anaposantana@hotmail.com] [Bolsista PQ2/CNPq]

Tenho, atualmente, duas pesquisas principais: Avaliação da Compreensão da Linguagem financiada pela Bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPq e relacionada à língua de pesquisa Cognição e Uso e Estudos do Campo Discursivo e a pesquisa Ações Transdiciplinares: do contexto clínico ao educacional, relacionada à linha de pesquisa Ensino e aprendizagem de língua portuguesa e a linha estudo do campo discursivo. As pesquisas que desenvolvo partem de uma perspectiva histórico-cultural. Sou líder do grupo de Pesquisa Linguagem, Cognição e Audição: implicação para saúde e educação e pesquisadora do Núcleo em Linguística Aplicada (NELA/UFSC)  e do grupo de Estudos da Linguagem e do Envelhecimento (UNICAMP).

Perfil 

Possuo graduação em Fonoaudiologia pela Universidade de Fortaleza, Mestrado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Fiz estágio de Pós-Doutorado em Historia Cultural na Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines. Sou professora Associada do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Santa Catarina e da Pós-Graduação em Linguística (UFSC). Sou membro do Departamento de Fonoaudiologia Educacional da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. E possuo experiência nas áreas de Fonoaudiologia, Linguística e Educação, com ênfase nos seguintes temas: Educação Inclusiva, Letramento, Surdez, Neuroliguística, Linguística Aplicada, aquisição da linguagem oral e escrita, Clínica da Linguagem.

Principais publicações

SIGNOR, R ; BERBERIAN, A.P. ; VIEIRA, S. K. ; SANTANA, A. P. . Distúrbio de Processamento Auditivo X Dificuldade de leitura e escrita: há uma relação. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 18, p. 581-607, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1984-63982018000300581&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

SANTANA, A. P.; SANTOS, K. P.  A perspectiva sócio-histórica como método de análise da linguagem na clínica fonoaudiológica. BAKHTINIANA – REVISTA DE ESTUDOS DO DISCURSO, v. 12, p. 174-190, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732017000200174

UCEDO, D. M. ; SANTOS, K. P. ; SANTANA, A. P. A fala espontânea na demência frontotemporal: uma análise a partir da Neurolinguística Enunciativo-Discursiva. CODAS, v. 27, p. 01-06, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2317-17822017000400400&script=sci_abstract&tlng=pt

SANTANA, A. P.; BERGAMO, A. O livro em lingua de sinais: estudo comparativo entre Brasil e França. In: Andrea Benvenuto ; Gildas Brégain ; Martial Meziani. (Org.). Perspectivas comparadas sobre discapacidad : Francia-América Latina. 1aed.Buenos Aires: Estudios Sociológicos Editora, 2019, v. , p. 01-132. Disponível em: http://estudiosociologicos.org/-descargas/eseditora/perspectivas-comparadas-sobre-discapacidad/perspectivas-comparadas-sobre-discapacidad.pdf

SIGNOR, R. ; SANTANA, A. P. . TDAH e medicalização: implicações neurolinguísticas e educacionais do Déficit de Atenção/Hiperatividade. 1.. ed. São Paulo: Plexus, 2016. 208p .  (Livro)

SANTANA, A. P. Surdez e Linguagem: aspectos e implicações neurolinguísticas 5a. edição. São Paulo: Plexus, 2016. 268p (Livro)


ATILIO BUTTURI JUNIOR [Lattes] [atilio.butturi@ufsc.br] [Página de Pesquisa] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Tenho, atualmente, duas pesquisa: Discurso, biopolítica e exceção: o dispositivo crônico da aids no Brasil, financiada com Bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPq (PQ2); Discurso, ontologia crítica e resistências, que desenvolvo desde 2014. Basicamente, pesquiso as intersecções entre discurso e dispositivos biopolíticos. Para isso, tenho me dedicado a pensar relações de gênero, sexualidade, racialização – e filosofia política. Coordeno, com o Sandro Braga, o Grupo de Estudos no Campo Discursivo (CNPq/UFSC) e faço parte de mais outros dois grupos de pesquisa: A Condição Corporal (PUC-SP) e NELA (UFSC).

Perfil 

Sou licenciado em Letras-Português pela UEPG (2004). Meu mestrado e meu doutorado, com orientação do Fábio Lopes da Silva foram feitos na Pós de Linguística da UFSC (2008, 2012). Fiz, depois, pós-doutorado no IEL (supervisão do K. Rajagopalan, 2014-2015) e na Universidade Nova de Lisboa, na Faculdade de Ciência e Tecnologia (com bolsa CAPES e supervisionado pelo José Luís da Câmara Leme, 2017-2018). Além de docente no PPGL, sou professor permanente do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFFS, que ajudei a criar. Também sou editor-chefe, desde 2015, da Fórum Linguístico e o coordenador do PPGL (até agosto de 2020).

Principais publicações

BUTTURI JUNIOR, A. O hiv, o ciborgue, o tecnobiodiscursivo. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 58, p. 637-657, 2019.

BUTTURI JUNIOR, A.; SOUZA, P.; CANDIOTTO, C.; CAPONI, S. (org.). Foucault e as práticas de liberdade: o vivo e seus limites.  Campinas: Pontes, 2019. v. 1. 361p .

BUTTURI JUNIOR, A. Junkie-Foucault. In: BUTTURI JUNIOR, A.; SOUZA, P.; CANDIOTTO, C.; CAPONI, S. (org.). Foucault e as práticas de liberdade I: o vivo e os seus limites. Campinhas: Pontes, 2019. p. 273-295.

BUTTURI JUNIOR, A.; SEVERO, C. G. (org.) . Foucault e as Linguagens. Campinas: Pontes, 2018. v. 1. 334p .

BUTTURI JUNIOR, A. Metafísica e discurso: Pêcheux, Foucault e a pós-modernidade. São Carlos: Pedro & João Editores, 2009. v. 1. 218p .

Interesses

Biopolítica, Discurso, hiv-aids, Teorias de Gênero-Queer, Homossexualidades e masculinidades

Textos para Download

Artigo – O hiv, o ciborgue, o tecnobiodiscursivo

Capítulo – Junkie-Foucault

Capítulo – Foucault: a crítica como aleturgia

Capítulo – (Contra) positivismo linguagem e resistências 

Mais de Atilio

Campo Discursivo – https://campodiscursivo.paginas.ufsc.br/

Academia. edu


CRISTIANE LAZZAROTTO VOLCÃO [Lattes] [cristiane.volcao@cce.ufsc.br] [sala de atendimento: sala 209/Bloco B/CCE]

Pesquisa

Coordeno atualmente um projeto de pesquisa que busca analisar e comparar dados de crianças brasileiras e portuguesas, durante o processo de aquisição fonológica. Meus estudos tem como pressuposto teórico a teoria gerativa, mais precisamente a Fonologia Autossegmental. Desenvolvi um modelo de análise da fonologia infantil em minha tese, defendida em 2009, e sigo aprimorando este modelo, chamado Modelo Padrão de Aquisição de Contrastes. Também tenho interesse em estudar a aquisição fonológica em populações específicas, como em crianças que estão no Espectro do Autismo e crianças com Síndrome de Down.

Perfil 

Sou Bacharel em Fonoaudiologia e fiz Mestrado e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas, sob orientação da Professora Dr.ª Carmen Lúcia Barreto Matzenauer, com período sanduíche na Universidade de Lisboa, com apoio financeiro do CNPQ. Fiz Pós-Doutorado no Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, sob a supervisão da Professora Dr.ª Maria João Freitas, com apoio financeiro de CAPES. Sou professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina desde 2010, tendo iniciado minha carreira como professora universitária em 2006, na Universidade Federal do Pampa.

Principais publicações

LAZZAROTTO-VOLCÃO, Cristiane; FREITAS, M. J. (org.). Estudos em fonética e fonologia: coletânea em homenagem a Carmen Matzenauer. 1Curitiba: CRV, 2018. v. 1. 396p

MARQUES, T. F. ; LAZZAROTTO-VOLCÃO, Cristiane . O processo de aquisição da lateral alveolar por gêmeos dizigóticos. Working papers em linguística (ONLINE), v. 19, p. 38-64, 2018.

RAMALHO, Ana M. ; LAZZAROTTO-VOLCÃO, Cristiane ; FREITAS, M. J. . Contributo para a identificação de marcadores clínicos em contexto de perturbação fonológica: dados das líquidas em português europeu. Matraga, v. 24, p. 497-527, 2017.

SEARA, I. C. ; NUNES, V. G. ; LAZZAROTTO-VOLCÃO, Cristiane. Para conhecer fonética e fonologia do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2015.

LAZZAROTTO-VOLCÃO, Cristiane. O Modelo Padrão de Aquisição de Contrastes: Uma nova abordagem para o desvio fonológico. Veredas (UFJF. Online), v. 16, p. 104-117, 2012.

Interesses

Aquisição fonológica, crianças, traços fonológicos.

Mais de Cristiane

http://fonapli.paginas.ufsc.br/


CRISTINE GÖRSKI SEVERO [Lattes] [crisgorski@gmail.com] [Página de pesquisa] [sala de atendimento – 220 CCE, bloco B] 

Pesquisa

Tenho pesquisado os temas dimensões política e ética das políticas linguísticas em contextos coloniais e pós-coloniais de uso da língua portuguesa; linguística colonial; políticas linguísticas críticas e sócio-história das línguas. Atualmente sou bolsista do CNPq, professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Linguística. Integro o GT da ANPOLL de Sociolinguístic, a Africa Research Network da Associação Internacional de Linguística Aplicada, e a International association for the integrational study of language and communication.

Sou responsável pelo grupo de pesquisa “Políitcas Linguísticas Críticas” que agrega pesquisadores de Angola, África do Sul, Estados Unidos, Moçambique, Timor Leste e Brasil (http://politicaslinguisticas.paginas.ufsc.br/). Também integro o grupo de pesquisa interdisciplinar em Identidade e Relações Inter-Étnicas (NUER, http://kadila.net.br/), na Universidade Federal de Santa Catarina, com quem tenho desenvolvido projetos conjuntos sobre cultura afro-brasileira, língua, poder e religião. 

Perfil

Tenho graduação em Letras-Inglês/Literatura (UFSC) e em Psicologia (UFSC), mestrado em Teoria e Análise Lingüística (UFSC, 2003), doutorado em Teoria e Análise Linguística (UFSC, 2007) e em Ciências Humanas (UFSC, 2018) e pós-doutorado em Políticas Linguísticas (Universidade da Pennsylvania).

Principais publicações

ABDELHAY, Ashraf; MAKONI, Sinfree; SEVERO, Cristine. (Orgs.) Language planning and policy: Ideologies, Ethnicities and semiotic spaces of power. Newcastle-Upon-Tyne: Cambridge Scholars Publishing [in press].

BUTTURI JUNIOR, A.; SEVERO, Cristine Gorski (Orgs). Foucault e as linguagens. Campinas, SP: Pontes, 2018.

SEVERO, Cristine Gorski. Uma visão panorâmica das políticas linguísticas no Brasil: construindo diálogos. Revista da Academia Brasileira de Letras, 94, 2018, p. 11-22. Disponível em: http://www.academia.org.br/eventos/uma-visao-panoramica-das-politicas-linguisticas-no-brasil-construindo-dialogos

SEVERO, Cristine Gorski. The Colonial Invention of Languages in America. Alfa, São Paulo, 60, 2016, p. 11-28. Disponível em 10.1590/1981-5794-1604-1

SEVERO, Cristine G.; MAKONI, Sinfree B. Politicas Linguisticas-Brasil-Africa. Por uma perspectiva crítica. Florianópolis, SC: Insular, 2015.

MAKONI, Sinfree; SEVERO, Cristine G. Lusitanization and Bakhtinian perspectives on the role of Portuguese in Angola and East Timor. Journal of Multilingual and Multicultural Development, 1, 2014, p. 151–162. Disponível em 10.1080/01434632.2014.909441

SEVERO, Cristine Gorski; MAKONI, Sinfree. Discourses of language in colonial and postcolonial Brazil. Language and Communication, 34, 2014, p. 95–104. Disponível em 10.1016/j.langcom.2013.08.008.

Interesses

Políticas linguísticas; colonialismo; África e diáspora; sócio-história da língua portuguesa.

Mais de Cristine

http://politicaslinguisticas.paginas.ufsc.br/

http://criticallanguagepolicy.paginas.ufsc.br/


Daniel do Nascimento e Silva [Lattes] [dnsfortal@gmail.com] [Bolsista PQ2/CNPq]


EDAIR MARIA GÖRSKI [Lattes] [gorski@cce.ufsc.br]

Pesquisa

Atuo no Curso de Pós-graduação em Linguística da UFSC como professora voluntária (aposentada) nas linhas de pesquisa Contato, variação e mudança linguística e Cognição e uso, e sou integrante do Núcleo Interinstitucional de Pesquisa VARSUL (Variação Linguística no Sul do Brasil) e participante do Projeto PHPB-SC (Para a História do Português Brasileiro de Santa Catarina).

Na perspectiva variacionista, tenho trabalhado com questões teórico-metodológicas que envolvem a relação entre variação, estilo e identidade, elaborando, aplicando e avaliando instrumentos para análise de fenômenos de variação socioestilística no Português do Brasil (PB). Considero como locus de análise não só a comunidade de fala, mas também comunidades de prática, com foco na construção de persona. Na perspectiva da mudança, meu campo de interesse tem sido a gramaticalização de fenômenos linguísticos de nível sintático-semântico-pragmático. Na convergência entre as duas perspectivas de análise, trabalho com uma abordagem sociofuncionalista, com atenção à noção de domínio funcional e sua relação com a variável linguística e com a definição de envelopes de variação. Em relação ao ensino de língua portuguesa, trabalho com a noção de gramática do uso, considerando a multifuncionalidade e a variação/mudança linguística.

Interesses

Variação e mudança linguística, estilo e identidade, gramaticalização, ensino de gramática.


Principais publicações

GÖRSKI, Edair M.; VALLE, Carla R. M.  Reconfiguração da sociolinguística variacionista e repercussões para o ensino: questões estilísticas e identitárias. Estudos Linguísticos e Literários, v. 1, p. 97-117, 2019.

SEVERO, Cristine G. ; GÖRSKI, Edair M. . Revisitando Whitney: das dimensões social e política no estudo da linguagem. Acta Scientiarum (UEM), v. 41, p. 1-12, 2019.

GÖRSKI, Edair M.; SIQUEIRA, Mara A. Para além da questão: (não) ensinar gramática?. Working Papers em Linguística (Online), v. 18, p. 25-49, 2017.

SEVERO, Cristine G.; GÖRSKI, Edair M. On the relation between the sociology of language and sociolinguistics: Fishman’s legacy in Brazil. International Journal of the Sociology of Language, v. 2017, p. 119-132, 2017.

GÖRSKI, Edair M.; TAVARES, Maria Alice. O objeto de estudo na interface variação-gramaticalização. In: Marcos Bagno; Vânia Casseb-Galvão; Tânia Ferreira Rezende. (Orgs.). Dinâmicas funcionais da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2017, v. 1, p. 35-63.

COELHO, Izete L.; GÖRSKI, Edair M.; NUNES DE SOUZA, Christiane M.; MAY, Guilherme H. Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2015. v. 1. 176p.

Mais de Edair

www.varsul.org.br


FÁBIO LUIZ LOPES DA SILVA [Lattes] [flopes@cce.ufsc.br]

Pesquisa

Meus interesses atuais como pesquisador acompanham de perto o trabalho recente do historiador Timothy Snyder, principalmente sua desafiadora interpretação do Holocausto, sua penetrante maneira de explicar a política contemporânea e suas observações historiográficas acerca do que ele mesmo chama de “disjunção entre história e memória”. Tenho seguido o rastro de suas ideias para refletir sobre o lugar da linguagem na obra do escritor italiano Primo Levi, sobrevivente de Auschwitz. Tenho também me pautado pelos conceitos e caminhos inaugurados por Snyder para tentar explicar o estado atual da política brasileira. Articulando a obra de Snyder à filosofia da linguagem de John Austin, acabo de publicar um livro sobre o bolsonarismo e o lulismo, além de artigos em que problematizo as respostas até agora oferecidas pelos progressistas brasileiros à conjuntura política nacional.

Perfil

Sou licenciado em Letras pela PUC-Rio, com mestrado e doutorado em Linguística pela Unicamp, ambos sob a orientação de Kanavillil Rajagopalan. Em 2009, cumpri estágio pós-doutoral na área de Literatura Brasileira na PUC-Rio, sob a supervisão de Júlio César Valladão Diniz. Nos últimos dois anos, tenho frequentado a Yale University, nos Estados Unidos, na qualidade de visiting scholar. Na instituição americana, colaboro com os historiadores Timothy Snyder e Carolyn Dean.

Por longo tempo, estive ligado a vertentes filosóficas francesas – Foucault, Lacan e Derrida, principalmente. Mais recentemente, experimentei uma guinada epistemológica que me aproximou de abordagens comprometidas com a tradição iluminista ocidental, sobretudo a historiografia de Timothy Snyder, Stephen Kotkin e Thomas Frank.

Ao longo de quase três décadas como professor da UFSC, fui por quinze anos tutor do PET-Letras. Ocupei a função de coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC por quatro anos, e a de vice-coordenador por nove anos. Também fui diretor da Editora da UFSC entre 2013 e 2016.

A par de publicar trabalhos acadêmicos, procurei me estabelecer como intelectual público, seja escrevendo mais de sessenta ensaios para suplementos culturais, seja apresentando programas semanais de tevê e rádio dedicados à literatura, seja editando a revista Subtrópicos. Caderno de Cultura da EdUFSC, seja atuando como roteirista em cerca de 120 episódios de diferentes programas sobre cultura exibidos em canais por assinatura.

Principais publicações

LOPES DA SILVA, F. Sadopopulismo. De Putin a Bolsonaro. Florianópolis: Insular, no prelo.

LOPES DA SILVA, F.; RAJAGOPALAN, K. (org.) A linguística que nos faz falhar. Investigação Crítica. São Paulo: Parábola, 2009.

LOPES DA SILVA, F.; MOURA, H. (org.) O direito à fala. Florianópolis: Insular, 2001.

LOPES DA SILVA, F.; SEVERO, C. ‘Para uma crítica à noção de diferença: o caso da política linguística’. Revista da Abralin, no prelo.

LOPES DA SILVA, F. ‘Um grito parado no ar: o proferimento Lula Livre como expressão da política da eternidade’. Revista da Anpoll n. 49, v. 1, p. 124-135, 2019.

LOPES DA SILVA, F. ‘A vida como vir-a-aceitar: considerações austinianas sobre a modernidade’. DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada. n. 25, v. 2, p. 233-244, 2009.

Textos para download

Artigo – Um grito parado no ar: o proferimento “Lula livre” como expressão da política da eternidade

Artigo – A vida como vir-a-aceitar

Artigo – Freyre & Foucault: Casa-Grande e Senzala como microfísica do poder

Artigo – A Pedof(ami)lia moderna

Artigo – Esquina de tantas ruas: os pagodes do Cacique de Ramos no espaço urbano carioca

Revista Subtrópicos


FELÍCIO WESSLING MARGOTTI [Lattes] [ felicio.margotti@gmail.com.br] [Página de pesquisa 1] [2] [sala de atendimento – 411, CCE – Bloco B]

Pesquisa

Sou Professor Titular aposentado pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde iniciei minha carreira como Docente de Ensino Superior em 1980. Atualmente atuo no curso de graduação em Letras e no Programa de Pós-graduação em Linguística como Professor Voluntário, dedicando-me ao ensino e à pesquisa.

Na pesquisa, priorizo os estudos dialetológicos e de contato linguístico. Sou pesquisador e coautor do Atlas Linguístico-Etnográfico da Região Sul do Brasil – ALERS e do Atlas Linguístico do Brasil – AliB.

No ensino, ministro disciplinas relacionadas à área de Dialetologia e Sociolinguística, incluindo Dialetologia e Geolinguística, e oriento alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado cujos projetos estejam relacionados a essa área de formação.

Perfil

Fiz graduação em Letras pela UFSC (1975), mestrado em Linguística também pela UFSC (1982), com a dissertação “A linguagem e a trajetória (in)consciente do sentido”, sob a orientação do Prof. Dr. José Curi, e doutorado em Letras pela UFRGS (2004), com a tese “Difusão sócio-geográfica do português em contato com o italiano no sul do Brasil”, sob orientação do Prof. Dr. Cléo Vilson Altenhofen.

Principais publicações (para download):

http://linguagem.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/linguagem-em-discurso/0401/040108.pdf

https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/5540/4352

https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/19205/15802

https://alib.ufba.br/sites/alib.ufba.br/files/artigo6.pdf

Interesses

Geografia linguística, dialetologia, sociolinguística, contato linguístico.

Mais de Felício

Atlas Linguístico do Brasil – ALiB

Grupos de pesquisa:

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/15281

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7455

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/65968


Gilvan Muller de Oliveira [Lattes] [gimioliz@gmail.com]


Heronides Maurílio de Melo Moura [Lattes] [heronides@uol.com.br] [Bolsista PQ2/CNPq]


IZABEL CHRISTINE SEARA [Lattes] [izabels@linse.ufsc.br] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Supervisiono o Laboratório de Fonética Aplicada (FONAPLI) (https://fonapli.paginas.ufsc.br/) do qual fazem parte professores/pesquisadores da UFSC e de outras instituições de ensino. No FONAPLI, desenvolvo dois grandes projetos: (1) Análise acústica, aerodinâmica e articulatória da fala, investigando dados do português brasileiro, do francês e do guarani (variedade nhandeva); (2) A prosódia da variedade dialetal florianopolitana, no qual analiso o falar “manezinho” com foco em aspectos entoacionais. E, com esse foco, estou também vinculada ao projeto AMPER-POR (http://www.varialing.eu/?page_id=1046), cuja coordenadora é a Profa. Dra. Lurdes de Castro Moutinho da Universidade de Aveiro-Portugal, e no qual sou responsável por pesquisas sobre a Região Sul do Brasil.

Perfil 

Sou licenciada em Letras-Português e Francês (1990), fiz Mestrado (1994) e Doutorado (2000) no Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, sob a orientação do Prof. Dr. Giles L. Istre e do Prof. Dr. Paulino Vandresen. Tenho Pós-Doutorado pela Université Paris 3 – Sorbonne Nouvelle (Paris-França), realizado no Laboratoire de Phonétique et Phonologie (2012), sob a supervisão da Profa. Dra. Jacqueline Vaissière; e pela Universidade de Aveiro (Portugal), realizada no Laboratório de Fonética (2019), sob a supervisão da Profa. Dra. Lurdes de Castro Moutinho. Sou professora Associada IV da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no Departamento de Língua e Literatura Vernáculas e no Programa de Pós-graduação em Linguística na área de Teoria e Análise Linguística (Fonética e Fonologia das Línguas Naturais). Sou também bolsista de produtividade PQ2 do CNPq desde 2013.

Principais publicações

SEARA, I. C.; NUNES, V. G.; LAZZAROTTO-VOLCÃO, C. Para conhecer fonética e fonologia do português brasileiro. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

SILVA, T. C.; SEARA, I. C.; SILVA, A. H. P.; RAUBER, A. S.; CANTONI, M. Fonética acústica: os sons do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2019.

SEARA, I. C.; SILVA, Sara F. ; NUNES, V. G. Les lusophones. In: DETEY, S. ; RACINE, I. KAWAGUCHI, Y. (Orgs.). La prononciation du français dans le monde: du natif à l’apprenant. 1ed. Paris (França): SEJER CLE International, 2016, v., p. 162-168.

SEARA, I. C.; PACHECO, F. S.; AMELOT, A. Considerações sobre a aerodinâmica das vogais nasais do português brasileiro: a variedade florianopolitana. Caderno de Letras (UFPEL), v. 33, p. 13-40, 2019. Disponível em https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/cadernodeletras/article/view/13378

BRISOLARA, L. B. ; MATZENAUER, C. L. B. ; SEARA, I. C.  A vogal /a/ do espanhol em contexto nasal – a produção de brasileiros. Revista Linguística (Online), v. 35, p. 11-34, 2019. Disponível em http://www.scielo.edu.uy/pdf/ling/v35n1/2079-312X-ling-35-01-11.pdf

SEARA, I. C.; MENEZES, A. L. L. de; GOES, B. F.; NUNES, V. G. A produção de vogais nasais e de encontros consonantais do francês por aprendizes brasileiros e falantes nativos de francês. Gradus – Revista Brasileira de Fonologia de Laboratório, v. 4, p. 42-72, 2019. Disponível em https://gradusjournal.com/index.php/gradus/article/view/145

MOUTINHO, L. C.; SEARA, I. C. A presença dos Açores em duas comunidades de Florianópolis (SC): aspetos prosódico-entoacionais. Géolinguistique, v. 19, p. 1-19, 2019. Disponível em https://journals.openedition.org/geolinguistique/1633

SEARA, I. C.; SOSA, J. M.; OLIVEIRA, R. P. A vitalidade identitária de contornos entonacionais característicos do falar manezinho. Gragoatá (UFF), v. 23, p. 632-653, 2018. Disponível em http://periodicos.uff.br/gragoata/article/view/33593

Interesses

Entoação-prosódia e suas interfaces, detalhamento acústico-aerodinâmico-articulatório de segmentos de fala, síntese e reconhecimento de fala, francês como L2, línguas indígenas.


IZETE LEHMKUHL COELHO [Lattes] [izete@cce.ufsc.br] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Atuo nas áreas de Sociolinguística e Dialetologia e Linguística Histórica, com ênfase em estudos sobre a variação e a mudança na (morfo)sintaxe do português, na dimensão diacrônica da língua, sob a perspectiva da Sociolinguística Histórica. Atualmente, desenvolvo o projeto de pesquisa e O sistema pronominal de Santa Catarina: a trajetória da mudança, com bolsa de Produtividade em Pesquisa PQ2 do CNPq. Sou membro do Projeto Variação Linguística da Região Sul (VARSUL) e Coordenadora do Projeto Para a História do Português Brasileiro em Santa Catarina (PHPB-SC).

Perfil

Fiz Licenciatura em Letras Português/Inglês no Curso de Graduação em Letras da UFSC (1979), Mestrado no Programa de Pós-graduação em Literatura, sob a orientação da professora Dra. Zahidê Muzart (1989), e Doutorado no Programa de Pós-graduação em Linguística, sob a orientação do professor Dr. Paulino Vandresen (2000), também na UFSC. Realizei Estágio de Pós-Doutorado no Instituto de Estudos da Linguagem na UNICAMP, sob a supervisão da professora Dra. Mary Kato (2005-2006), e Estágio de Pós-Doutorado na Faculdade de Letras da UFRJ, sob a supervisão das professoras Dra. Célia Lopes e Dra. Sílvia Cavalcante (2017). Sou professora Titular (aposentada) da UFSC, atuando como Voluntária no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC, com atividades de ensino e pesquisa.

Principais publicações

COELHO, I. L. A trajetória de mudança dos pronomes tu e você em Santa Catarina: análise de cartas pessoais (1880-1990). LABORHISTÓRICO.  v.5, p.130 – 161, 2019.

COELHO, I. L.; VIEIRA-PINTO, C. A. O encaixamento da mudança sintática em cartas pessoais de Santa Catarina: ordem do sujeito e objeto direto anafórico. VEREDAS – REVISTA DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS. v.22, p.114 – 133, 2018.

BERLINCK, R; COELHO, I. L. A ordem do sujeito em construções declarativas na história do português brasileiro.  In: CYRINO, S.; TORRES MORAIS, M. A. (Orgs.) Mudança Sintática do Português Brasileiro: Perspectiva gerativista.1 ed. São Paulo: Contexto, 2018, v.1, p. 308-381.

LOPES, C.; MARCOTÚLIO, L.; RUMEU, M. C de B.; ANDRADE, A. de; COELHO, I. L.; MARTINS, M. A.; LACERDA, M. de O.; GOMES, V. S.; MONTE, V. M. ; CARNEIRO, Z. N. ; SOUZA, C. M, N; BALSALOBRE, S. ; SOUZA, J. P. de ; OLIVEIRA, T. L. de ; MOURA, K. K. de; CRUZ. I. ; CARDOSO, N. D. A reorganização do sistema pronominal de segunda pessoa na história do português brasileiro: a posição do sujeito In: LOPES.C. (Org.) História do Português Brasileiro.1 ed. São Paulo: Contexto, 2018, v. 4, p. 24-141.

COELHO, I. L.; MAFRA, G.; ZIBETTI, E. Correlação entre ordem verbo-sujeito e sujeito nulo: a trajetória da mudança no português de Santa Catarina In: Sociolinguística e Política Linguística: Olhares Contemporâneos.1 ed. São Paulo: Blucher, 2016, v.1, p. 35-57.

BERLINCK, R.; COELHO, I. L.; CYRINO, S.; DUARTE, M. E.; MARTINS, M. A. Mudança Sintática e a História do Português Brasileiro nos séculos XIX e XX In: ARAÚJO DE SÁ; MARTINS (Orgs.) Rumos da Linguística Brasileira no Século XXI: historiografia, gramática e ensino.1 ed. São Paulo: Blucher, 2016, v.1, p. 155-188.

NUNES de SOUZA, C. M.; COELHO, I. L. Caminhos para a investigação da alternância de pronomes de segunda pessoa em Santa Catarina. LaborHistórico.  v.1, p.49 – 61, 2015.

COELHO, I. L.; GORSKI, E. M.; SOUZA, C. M, N; MAY, G. H. Para Conhecer Sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2015, v.1. p.176.

MARTINS, M. A.; COELHO, I. L.; CAVALCANTE, S. R. de O.
Variação sintática e gerativismo In: MARTINS, M. A.; ABRAÇADO, J.  (Orgs.) Mapeamento Sociolinguístico do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto. 2015, p. 221-248.

Interesses

Teoria da Variação e Mudança. Sócio-história da língua portuguesa. Pronomes de tratamento na dimensão diacrônica. Sistema pronominal. Sujeito e ordem do sujeito.


LEANDRA CRISTINA DE OLIVEIRA [Lattes] [leandra.oliveira@ufsc.br]

 

Pesquisa

Atuo como professora permanente do Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC, na linha de pesquisa Contato, variação e mudança linguística, área de concentração Sociolinguística e dialetologia. Sob a perspectiva da variação e mudança, tenho orientado pesquisas de mestrado e de doutorado e conduzido projetos (de pesquisa e extensão) relacionados, essencialmente, às línguas portuguesa e espanhola, com enfoque descritivo e também aplicado (no ensino e na tradução). Coordeno desde 2014 o projeto Pesquisas em corpus do espanhol escrito com marcas de oralidade (CEEMO), com interesse direcionado à perspectiva sociopragmática e à interface Linguística/Tradução, com ênfase nos temas: formas de tratamento, cortesia verbal e noções temporais.

Perfil

Sou licenciada em Letras Português/Espanhol pela UNESC (2004), com mestrado (2007) e doutorado (2010) pelo Programa de Pós-graduação em Linguística (UFSC), sob orientação da Profa. Dra. Luizete Guimarães Barros. Realizei meu estágio de pós doutorado (2019) no Centro de Estudios Lingüísticos y Literarios (CELL) do El Colegio de México (COLMEX/MX), sob supervisão da Profa. Dra. María Eugenia Vázquez Laslop. Além de atuar na pós-graduação, sou professora associada da área de Língua Espanhola do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE/UFSC), na qual ministro disciplinas de Linguística e de Língua Espanhola, oriento pesquisas em nível de TCC e IC e coordeno projetos de extensão voltados ao ensino de Língua Espanhola.

Principais publicações

OLIVEIRA, Leandra Cristina de; GODOY ROA, María Alejandra. De la fraseología a una perspectiva cognitivista centrada en el uso: un debate sobre variabilidad y fijación. Revista de Estudos da Linguagem. V. 28, 2020, p. 331-358. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/15457.

OLIVEIRA, Leandra Cristina de; PEREIRA, Livya L. de O. As formas de tratamento nominais e pronominais em Lope (2010): temporalidade linguística e verossimilhança. Letra Magna. V. 23, 2018, p. 451-472. Disponível em: http://www.letramagna.com/artigos_23/artigo29_23.pdf

DIAS, Rafael de O.; OLIVEIRA, Leandra Cristina de. A percepção do estudante alemão frente ao uso de tu/você do português do Brasil. Revista de Ciências Humanas UFV. V. 18, 2018, p. 01-22. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RCH/article/view/8061

OLIVEIRA, Leandra Cristina de; GESSER, Alison F. La expresión temporal de pasado en el material de audio de una película brasileña traducida en México. Revista Verbum Et Lingua, v. 5, 2015, p. 39-56. Disponível em:  http://verbumetlingua.cucsh.udg.mx/autor/2230

OLIVEIRA, Leandra Cristina de; BABILÔNIA, Leandro. As formas de se dirigir ao interlocutor no português brasileiro sob a perspectiva do falante estrangeiro. In: SILVEIRA, R.; EMMEL, I. Um retrato do português como segunda língua: ensino, aprendizagem e avaliação. Campinas: Pontes, 2015. p. 97-123.

OLIVEIRA, Leandra Cristina de. O multifucional pretérito perfeito composto espanhol em materiais didáticos. Calidoscópio, 2015, p. 83-93. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/view/cld.2014.121.09/4076

Interesses

Variação e mudança linguística. Sociopragmática. Questões de identidade. Variação no ensino e na Tradução.


LEONOR SCLIAR CABRAL [Lattes] [lsc@th.com.br]

Pesquisa

Minha pesquisa de doutorado foi sobre aquisição da linguagem. Gravei, além dos enunciados dos adultos, 5530 enunciados da criança (hoje conhecida como PAU), formando três corpora: quando a criança estava com 1;8,21, MLU 1.45 (5 horas de gravação, 1319 enunciados), quando estava com  1;10,2, MLU 2.22 (6 horas de gravação, 2245 enunciados) e quando estava com 2;2,8, MLU 2.40 (6 horas de gravação, 1966 enunciados). Em cada uma das coletas, colhi dados em diferentes situações: brinquedo, muda de roupa, refeição, relato de proto-narrativas, ouvindo música, examinando fotos e assistindo a filmes. Todos os dados estão disponíveis em áudio, transcritos e com a análise morfológica, na Plataforma CHILDES. Romance languages, Florianópolis. Os dados da criança também estão em transcrição fonética.

Ainda no campo de aquisição da linguagem, pesquisei a aquisição da morfologia nominal e verbal, tendo adaptado ao PB o teste Berko de morfologia, como instrumento de trabalho e coordenei um grupo interdisciplinar que desenvolveu pesquisa, patrocinada pelo INEP, sobre a competência narrativa em 60 pré-escolares de diferentes níveis socioculturais em Florianópolis.

Minha pesquisa de pós-doutorado foi no Laboratório de Fonética do Departamento de Linguística e Filologia da Université de Montréal, sob a orientação do Prof. Dr. Alain Marchal, com a análise de espectrogramas de enunciados do PB. Realizei estágio no Laboratório de Neurolinguística da VRIJE UNIVERSITEIT BRUSSELS, sob a orientação do Dr. Yvan Lebrun e, posteriormente, na Université de Montréal, sob a orientação do Prof. André Roch-Lecours e na McGilll, com o Prof. Michel Paradis, dos quais resultaram minhas pesquisas no campo da afasiologia, com relato de casos, além da Adaptação ao português do Teste M1-Alpha de André Roch Lecours e respectivo protocolo.

Mnha colaboração estreita, durante muitos anos, com os Profs. José Morais e Régine Kolinsky, da Université Libre de Bruxelles resultou na investigação do efeito recíproco das capacidades metalinguísticas de processamento fonológico sobre a decodificação do código escrito. Os instrumentos de aferição foram experimentos dicóticos e o teste de apagamento da consoante inicial em pseudopalavras aplicados em vastas populações de iletrados, semiletrados e letrados, além de pré-escolares.

Atualmente, estou empenhada em pesquisar a aplicação da neurociência à alfabetização, tendo elaborado o Sistema Scliar de Alfabetização que vem sendo acolhido no nordeste do Brasil, com muito êxito.

Perfil

Sou doutor em Linguística pela USP, Professor Emeritus, titular aposentada pela UFSC e pós-doutorada pela Universidade de Montréal. Fui eleita em julho de 1991 na Univ. de Toronto, Presidente da International Society of Applied Psycholinguistics, reeleita na Universidade de Bolonha e, atualmente, sou Sócia Honorária. Fui presidente da União Brasileira de Escritores em Santa Catarina (1995-1997) e presidi a ABRALIN, no biênio 1997-1999. Pertenço ao Conselho Editorial de: International Journal of Psycholinguistics, Cadernos de Estudos Linguísticos, Letras de Hoje (fundadora), Revista da ABRALIN entre outros. Coordenei os projetos Ler & Ser: Combatendo o Analfabetismo Funcional, Cátedra UNESCO MECEAL na UFSC e criei e coordeno o Sistema Scliar de Alfabetização (SSA) e o Grupo de Pesquisa do CNPq, Produtividade Linguística Emergente.

Interesses

Psicolinguística, Neurociência da Leitura, Processamento da Leitura e da Escrita, Alfabetização, Aquisição da Linguagem: Banco de Dados CHILDES, Estilística, Tradução poética.

Principais publicações

SCLIAR-CABRAL, L. Sistema Scliar de Alfabetização – Fundamentos. Florianópolis: Editora Lili, 2013.

SCLIAR-CABRAL, L. Neuron Recycling for Learning the Alphabetic Principles. Folia Phoniatrica, v. 66, n. 1-2, ps. 58-66, doi: 10.1159/000363764, 2014 Nov.

SCLIAR-CABRAL, L. Sagração do Alfabeto. São Paulo: Scortecci, 2009 (Finalista do Prêmio Jabuti, categoria Poesia).

SCLIAR-CABRAL, L. Princípios do sistema alfabético do português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2003.

SCLIAR-CABRAL, L. Memórias de Sefarad. Florianópolis: Athanor, 1994.

SCLIAR-CABRAL, L. Introdução à Lingüística. 7. ed. revisada. Porto Alegre: Globo, 1982.

Mais de Leonor

YouTube: Sistema Scliar de Alfabetização


Mailce Borges Mota [Lattes] [mailce@cce.ufsc.br] [Bolsista PQ1D/CNPq]


MARCO ANTÔNIO ROCHA MARTINS [Lattes] [marcomartins.ufsc@gmail.com] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Meus interesses de pesquisa estão centrados no campo disciplinar da sintaxe diacrônica, da linguística histórica e da sociolinguística. Com base em modelos estatísticos para o estudo empírico da mudança linguística e os pressupostos teóricos da gramática gerativa, tenho investigado fenômenos morfossintáticos que refletem mudanças paramétricas na gramática do português brasileiro em textos escritos no Brasil dos séculos XVIII ao XX.  Mais especificamente, tenho trabalhado em projetos que se voltam ao estudo da sintaxe dos pronomes pessoais, e, mais detidamente, de colocação e posição dos pronomes pessoais clíticos e de ordem e posição do sujeito gramatical. Em meu projeto de pesquisa atual (Instituto Humboldt/CAPES-processo número 88881.145464/2017-01 e CNPq-processo 310094/2017-8) investigo a correlação entre as mudanças na sintaxe dos pronomes clíticos e na posição estrutural do sujeito na escrita brasileira oitocentista, buscando argumentos para a hipótese de que nesse período há a competição entre as gramáticas do Português Brasileiro (PB), do Português Europeu (PE) e do Português Clássico (PCl).

Perfil

Meu Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com estágio na Universidade Nova de Lisboa foi financiado pelo CNPq (2009). Meu Mestrado em Linguística foi concluído na UFSC e financiado pela CAPES (2005). Sou Professor Associado do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas e Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Sou bolsista de Produtividade PQ-2 do CNPq. Fui coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC (biênio 2016-2018), presidente do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste GELNE (biênios 2010-2012 e 2012-2014), vice-presidente da Associação Brasileira de Linguística ABRALIN (biênio 2011-2013), coordenador do GT de Sociolinguística da Associação Nacional de Pós-Graduação em Letras e Linguística ANPOLL (biênios 2010-2012 e 2012-2014) e Editor-Chefe da Revista do GELNE (2014-2017). Coordeno desde 2017, com Izete Lehmkuhl Coelho e Paulo Osório, o Projeto História do Português brasileiro – da Europa até a América da Associação de Linguística e Filologia da América Latina ALFAL. Atuou, entre 2018 e 2019, como professor visitante na Universität zu Köln/Alemanha, com bolsa financiada pelo Instituto Humboldt/CAPES.

Principais publicações 

MARTINS, M. A. Micro-variation and parametric change: the proclisis in ‘neutral contexts [XP] V’ in Brazilian writing. Berlin: PhiN Philologie, v. 81, p. 1-25, 2019.

MARTINS, M. A. A sintaxe dos pronomes pessoais clíticos na história do português brasileiro. In: CYRINO, Sonia; TORRES MORAIS, M. A. (Org.). Mudança sintática do português brasileiro: perspectiva gerativista. 1ed.São Paulo: Contexto, 2018, v. IV, p. 150-209.

MARTINS, M. A.; ANDRADE, A. L; MOURA, K. K. ; LACERDA, M. F. O.; GOMES, V. S.; CARNEIRO, Z. Para um panorama sócio-histórico das formas de tratamento na função de sujeito na região nordeste. Revista LaborHistórico, v. 1, p. 26-48, 2015.


MARCOS ANTONIO ROCHA BALTAR [Lattes] [marcos.baltar@ufsc.br]

Pesquisa

Seguindo o escopo da LA, como ciência orientada para investigação de problemas socialmente relevantes, nos últimos vinte anos, tenho me dedicado a pesquisas sobre o ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa em escolas da educação básica e a questões que envolvem a formação de professores para essa educação. Em virtude dessa escolha coordenei projetos de pesquisa sobre letramentos e gêneros discursivos midiáticos: jornal e rádio escolar, além de investigação sobre o Sistema de formação de professores de Letras no Brasil e na França: estudo comparativo sobre Curso de Letras da UFSC, Curso de Lettres Modernes, Université  Sorbonne, Paris III e Master MEEF,  ESPE Université Cergy Pontoise. Atualmente, com a colaboração de dois alunos de graduação, dois mestrandos e dois doutorandos, coordeno o projeto A canção como um gênero de discurso multissemiótico de manifestação artística influenciando construções identitárias: da corte na Europa Medieval do século XIII à polis do século XX, na França e no Brasil.

Extensão

Coordeno os projetos Oficina da canção e Essa é pra tocar no rádio – programa na Rádio Ponto da UFSC, ambos financiados pelo Edital Bolsa Cultura da Secretaria de Cultura e Arte da UFSC – SeCArte.

Perfil

Licenciatura em Língua Portuguesa e Língua Francesa pela UFPEL, mestrado em Linguística pela UFSC e doutorado em Teorias do Texto e do Discurso pela UFRGS. Pós-doutorado em Didactique des Langues na UNIGE, Suiça, supervisionado por Jean-Paul-Bronckart. Pós-doutorado em Formations de Maîtres no ESPE de Versailhes, Université Cergy Pontoise, França, supervisionado por Max Butlen. Vice-coordenador do Núcleo de Linguística Aplicada da UFSC, coordenador da área de Língua Portuguesa do PIBID da UFSC. Secondary Proposer do projeto Culture & Second Language Appropriation COST – European Cooperation in Science and Technology, coordenado por Thomas Szende (INALCO – Paris).

Principais publicações

BALTAR, M. Oficina da Canção: do maxixe ao samba canção – A primeira metade do século XX. Curitiba: Appris, 2019. Financiamento CAPES/PPGL.

BALTAR, M. Rádio escolar: uma experiência de letramento midiático. São Paulo: Cortez, 2012.

BALTAR, M.; CERUTTI-RIZATTI, M. E. Leitura e Produção Textual Acadêmica I. Florianópolis: UFSC, 2011.

BALTAR, M. A literatura, as canções e a humanização das práticas sociais com o ensino-aprendizagem da língua. Cerrados, 2020.

BALTAR, M. A morte do professor de Português e o nascimento do agente de letramento: mudança de conteúdos na escola e mudança de currículos na universidade. In: Figueiredo, Débora et al. Sociedade, Cognição e Linguagem. Florianópolis: Insular Editora, 2012.

Interesses

Estudo da canção como gênero do discurso multissemiótico em diferentes contextos. Letramento midiático.


MARIA INÊZ PROBST LUCENA [Lattes] [lucena.inez@gmail.com]

Pesquisa

Sou membro do GT da ANPOLL Transculturalidade, linguagem e educação. Coordeno o grupo de pesquisa Educação Linguística e Pós-Colonialidade (CNPq) no qual desenvolvemos etnografias e investigamos práticas de linguagem no campo aplicado.

Perfil

Tenho graduação em Português e Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC (1987), mestrado em Inglês também pela UFSC (1998) e doutorado em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (2006). Trabalhei como professora da Educação Básica, na rede pública estadual e federal durante 32 anos. Lecionei no Colégio de Aplicação (UFSC) até a aposentadoria, em 2013. Atuo como membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística desde 2010, nas áreas de Linguística Aplicada e Políticas Linguísticas.

Principais publicações

LUCENA, M.I.P. Práticas de linguagem na realidade da sala de aula: contribuições da pesquisa de cunho etnográfico em Linguística Aplicada. V. 31, p. 67-95, 2005.

LUCENA, M.I.P.; CAMPOS, B. Dinâmicas sociolinguísticas e culturais de inclusão/exclusão de alunos descendentes de imgrantes russos no sul do Brasil. Linguagem em (Dis)curso (online), v. 18, p. 715-728, 2018.

LUCENA, M.I.P.; NASCIMENTO, A. Práticas (trans)comunicativas contemporâneas: Uma discussão sobre dois conceitos fundamentais. Revista da ANPOLL (impress), v.1, p. 46-57, 2016.

LUCENA, M.I.P.; TORRES, A.C.G. Ideologia monolíngue, mercantilizaçao da língua inglesa na alteração da LDB em 2017 e em anúncios publicitários de cursos livres. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 19, p. 635-654, 2019.

LUCENA, M.I.P.; CARDOSO, A. Translinguagem como recurso pedagógico: uma discussão etnográfica sobre práticas de linguagem em uma escolar bilíngue. Calidoscópio, v. 16, p. 143-151, 2018.

LUCENA, M.I.P.; PIRES-SANTOS, M. E. O letramento escolarizado e as práticas multiletradas em contexto superdiverso de fronteira. LINGUAS & LETRAS (Online), v. 19, p. 7, 2018.

REIS, N.; LUCENA, M.I.P. Vozes silenciadas, gênero e ensino-aprendizagem de português na vivencias de mães procedentes do Haiti no sul do Brasil. POLIFONIA: Estudos da Linguagem, v. 26, p. 36 – 56, 2019.REIS, N.; LUCENA, M.I.P. Vozes silenciadas, gênero e ensino-aprendizagem de português na vivencias de mães procedentes do Haiti no sul do Brasil. POLIFONIA: Estudos da Linguagem, v. 26, p. 36 – 56, 2019.

Interesses

Tenho interesse em etnografia, multilinguismo e ensino e aprendizagem de línguas.


MARIANNE ROSSI STUMPF [Lattes] [marianne@ead.ufsc.br]

Pesquisa

CoordenO o grupo de desenvolvimento de glossário online de sinais acadêmicos (www.glossários.libras.ufsc.br) para ampliar os léxicos de Libras. Vice – líder do Grupo de Pesquisa de Estudos sobre o SignWriting registrado no CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa Léxico e terminologia em Libras: tradução, validação e tecnologia registrado no CNPq. Integro o grupo de pesquisa sobre Documentação de Libras sob coordenadora Profa. Dra. Ronice Quadros. O objetivo desta pesquisa preliminar é coletar e registrar os sinais-termos de Libras existentes nesta área a partir de materiais como Enem em Libras. Esta pesquisa está referenciada em teóricos como Faulstich (2014), STUMPF (2014) McCleary (2008), e outros. A pesquisa se justifica pela falta de registro de sinais-termos e suas variantes (variação linguística), o que interfere na negociação de sentidos e conceitos pela comunidade surda acadêmica. Como parte metodológica, a pesquisa se propõe coletar os sinais-termos de materiais utilizados do referido site. Os sinais-termos da área jurídica coletados serão postados no glossário de Libras para que comunidade surda acadêmica, com facilidade, possa acessá-los e conhecê-los. Tenho experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: língua brasileira de sinais e sinais internacionais,  aquisição da língua de sinais, educação bilíngue, terminologia de libras e tradução e interpretação de língua de sinais.

Perfil

Sou professora associada e pesquisadora da Universidade Federal de Santa Catarina desde 2007, com pesquisas relacionadas ao estudo das línguas de sinais e escrita de sinais pelo sistema SignWriting e Terminologia de Libras. Possui graduação em tecnologia de informática pela Universidade Luterana do Brasil (2000), graduação em Educação de Surdos pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2004) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio na Universidade de Paul Sabatier e Universidade de Paris 8 (2001-2005).  Pós-doutorado a Universidade Católica Portuguesa (2013-2014). Membro da comissão de assessoramento técnico-pedagógico em Libras da DAEB/INEP e as traduções de Enem 2017, 2018 e 2019 em Libras.

Principais publicações

STUMPF, M. R.; WANDERLEY, D. C.  Quem fala português, escreve em português. Quem fala inglês, escreve em inglês. Os surdos: em que língua escrevem?. Letras Raras, v. 5, p. 93-107, 2016.

STMPF, M. R. ; QUADROS, R. M. . A presença dos surdos nas pesquisas das línguas de sinais. In: Regina Maria de Souza. (Org.). História da emergência do campo das pesquisas em Educação Bilíngue de/para surdos e dos estudos linguísticos da Libras no Brasil: contribuições do grupo de trabalho lingua(gem) e surdez da Anpoll. Curitiba: CRV, 2019, v. 2, p. 227-247.

STUMPF, M. R.. O estado da arte da escrita de língua de sinais pelo sistema SignWriting: uma meta-análise. In: Jorge Bidarra; Tânia Aparecida Martins; Márcia Sipavicius Seide. (Org.). Entre a Libras e o Português desafios face ao bilinguismo. Cascavel: EDUNIOSTE, 2016, v. 1, p. 83-115.

STUMPF, M. R.; MARTINS, F. C. . Glossário em Libras: desafio contemporâneo na educação de surdos. In: Tatiana Bolivar Lebedeff. (Org.). Letramento visual e surdez. Rio de Janeiro: Wak, 2017, v. 1, p. 182-199.

SANTOS, SILVANA AGUIAR DOS ; STUMPF, MARIANNE ROSSI ; GALDINO, THUANNY SÁ . Ensino, Pesquisa e Extensão: a emergência do TILSJUR. Revista de Extensão, v. 16, p. 12-28, 2019.

MARTINS, F. C. ; STUMPF, M. R. ; MARTINS, A. C. . Reflexões sobre componentes e organização de entradas de obras lexicográficas e terminológicas da Libras. Períodico Acadêmico do Instituto Nacional de Educação de Surdos, v. 49, p. 71-88, 2018.

Interesses

Aquisição de língua de sinais, com ênfase na leitura e na escrita de sinais pelo sistema SignWriting, Alfabetização, formação de professores, estudo de tradução e interpretação de Libras/Português e Libras/Sinais Internacionais. Terminologia de Libras, Banco de Sinais.


MARY ELIZABETH CERUTTI-RIZZATI [Lattes] [ma.rizzatti@gmail.com]

Pesquisa

Atuando no campo da educação escolar em Língua Portuguesa desde 1983, o foco de minhas mais de três décadas de carreira é a escola pública no Sul do Brasil em se tratando da linguagem. Tendo orientado vinte dissertações de Mestrado e dez teses de Doutorado neste campo, além de Trabalhos de Conclusão de Curso e Iniciação Científica, sempre no âmbito do Grupo de Pesquisa Cultura Escrita e Escolarização, que coordeno desde a década de 2000, levo a termo, no momento, a conclusão de minhas atividades acadêmicas e de orientação com a finalização de três teses de Doutorado, tendo migrado, em 2019, da condição de ‘membro permanente’ para a condição de ‘membro colaborador’ do PPGLg/UFSC. As pesquisas de meu Grupo ocupa[ra]m-se de compreender a leitura, a escritura, os conhecimentos gramaticais e o sistema de escrita alfabética, sempre do âmbito das relações de convivência humana, sob uma ancoragem histórica e cultural. Trata-se de estudos que atentam para fundamentos filosóficos e epistemológicos da escolarização em linguagem na Educação Básica, no que concerne a implicações desses fundamentos no escopo teórico e nas propostas metodológicas nesse âmbito, sob uma abordagem descritiva, explicativa e propositiva.

Perfil

Tenho graduação em Letras Língua Portuguesa, Mestrado em Linguística pela PUC/RS e Doutorado em Letras pela UFRGS, com Pós-Doutorado na Università degli Studi di Bari Aldo Moro, na Itália, no campo da Filosofia da Linguagem. Tendo transitado pelos Estudos do Letramento por alguns anos, minha abordagem mais recente se afasta de implicações dos Estudos Culturais para retomar filiações mais efetivamente comprometidas com o paradigma emancipatório. Em meu histórico, coordenei a área de Linguagem e o componente de Língua Portuguesa nas Propostas Curriculares de Santa Catarina, versão de 2014, e de Florianópolis/SC, versão 2016, assim como atuei na Coordenação de Linguagem em Programas Federais como o Pró-Letramento Linguagem e Programa Interinstitucional de Iniciação à Docência. Encontro-me em fecho de carreira.

Principais publicações

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth (org.). Cultura escrita e escolarização: alfabetismo e leitura. Florianópolis: Insular/UFSC, 2013 250 p.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth. Huminal. São Carlos/SP: Pedro&João, 2018. 214p.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; BRAZZAROLA, Giorgia Tradução para: PONZIO, Luciano. Visões do texto. São Carlos/SP: Pedro&João, 2017.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; TOMAZONI, Eloara. Gêneros do discurso e educação em linguagem: [in]quietudes. In: SWEDER Souza; SOBRAL, Adail. (Org.). Gêneros, entre o texto e o discurso: questões conceituais e metodológicas. Campinas/SP: Mercado das Letras, 2016. p. 71-88.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; MOSSMANN, Suziane da  Silva. ; IRIGOITE, Josa Coelho da Silva. Olhares para encontros mediados pela escrita: uma proposta de reconfigurações conceituais e metodológicas. In: KLEIMAN, Angela B.; ASSIS, Juliana Alves (Org.). Significados e ressignificações do letramento. Campinas/SP: Mercado das Letras, 2016, v. 1, p. 143-167.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; PEREIRA, Hellen Melo. Linguística, educação e política: para além da academia. Letras de Hoje, v. 54, p. 359-368, 2019.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth. Revel na escola: alfabetização: mais que uma atribuição escolar, um compromisso político. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 17, p. 1-15, 2019.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; DELLAGNELO, Adriana Kuerten. Implicações e problematizações do conceito de intersubjetividade: um enfoque na formação do profissional de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 16, p. 107-132, 2016.

CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth; IRIGOITE, Josa Coelho da Silva. Aula de Português: sobre vivências (in)funcionais. Alfa: Revista de Linguística, v. 59, p. 255-280, 2015.

Interesses

Meu interesse, ao longo de mais de três décadas de carreira, foi/é a educação em Língua Portuguesa/Linguagem na escola pública gaúcha e catarinense, sempre na perspectiva histórica e cultural das relações de convivência humana.


NÚBIA SARAIVA FERREIRA [Lattes] [nubiarech@uol.com.br]

Pesquisa

Meus interesses atuais de pesquisa se centram no estudo da modalidade a partir de uma abordagem sintática, buscando evidências para a proposta de uma representação que dê conta da interpretação de itens modais e de sua relação com categorias de tempo e aspecto. Tenho desenvolvido pesquisas em parceria com a Prof. Dra. Ana Paula Brandão (UFPA), na investigação de itens modais no paresi – língua pertencente à família Aruák, como o wapichana, e com a Profa. Dra. Ana Lívia Agostinho (UFSC), na investigação da marca de modo irrealis no lung’Ie, língua crioula de origem portuguesa falada na Ilha de Príncipe.

A partir de agosto de 2017, venho desenvolvendo o projeto “Modais, um estudo sobre a interface sintaxe-semântica. O português brasileiro e o wapichana” – CNPq (Processo: 424025/2016-7). Este se propõe a investigar marcas de modalidade na língua wapichana, sobre a qual não se sabe quase nada em relação a este tema, e comparar com o português brasileiro. Este estudo é de natureza experimental e conta com a participação dos seguintes pesquisadores: Profa. Dra. Simone Guesser (UFRR), Prof. Dr. Elder Lanes (UFRR), Profa. Dra. Maria José Foltran (UFPR) e Prof. Dr. Eduardo Soares (UFSC). O projeto conta ainda com a colaboração da pesquisadora Jozina Vander Klok (Universidade de Oslo), que desenvolveu Modal Questionnaire for Cross-Linguistic Use (Vander Klok, 2014) para a depreensão de marcas de modalidade em diferentes línguas.

Perfil

Meus estudos no doutorado e pós-doutorado já focalizaram propriedades dos predicados funcionais no português brasileiro. No doutorado, pesquisei critérios de auxiliaridade verbal, investigando suas manifestações em predicados indicadores de modo, tempo e aspecto. A relação entre esses predicados foi discutida a partir da proposta de Cinque (1999, 2006), que postula um ordenamento rígido dos núcleos funcionais nas diferentes línguas. No pós-doutorado, foquei meu estudo nos verbos auxiliares modais e sua relação com as categorias de tempo e aspecto.

Principais publicações

RESENDE, M. S. ; RECH, Núbia. Uma análise para os adjetivos em -vel à luz da morfologia distribuída. ALFA: REVISTA DE LINGUÍSTICA (UNESP. ONLINE), 2020 (a sair).

RECH, Núbia.; SOARES, E. C. ; Guesser, S. L.  A interpretação deôntica no português brasileiro: um estudo de natureza experimental. Revista Diacrítica, v. 33, p. 178-195, 2019.

RECH, Núbia.; BRANDÃO, A. P.  A marcação da modalidade deôntica em Paresi. Fórum Linguístico, v. 15, p. 2816-2827, 2018.

RECH, Núbia.; VARESCHIN, G.  Predicados estativos e os tipos de deônticos: ought-to-do e ought-to-be. CADERNOS DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS (UNICAMP), v. 60, p. 159-177, 2018.

RECH, Núbia.; BRANDÃO, A. P. ; WIT, M.  The relationship between irrealis mood and deontic modality in Paresi (Arawak). LIAMES, v. 18, p. 1-24, 2018.

RECH, Núbia.; VARESCHIN, G.  Propriedades do modal deôntico ought-to-be. ALFA: REVISTA DE LINGUÍSTICA (UNESP. ONLINE), v. 62, p. 361-380, 2018.

RECH, Núbia.; VARESCHIN, G.  Predicados inacusativos e a modalidade deôntica. REVISTA LETRAS (CURITIBA), v. 96, p. 219-238, 2017.

PIRES DE OLIVEIRA, R. ; RECH, Núbia. Flavors of obligation: the syntax/semantics of deontic deve in Brazilian Portuguese. Letras de Hoje (Online), v. 51, p. 349-357, 2016.


PEDRO DE SOUZA [Lattes] [pedesou@gmail.com]  [sala de atendimento – 214 CCE, bloco B] [Bolsista PQ2/CNPq]

 
Perfil

Sou professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Tenho experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise de Discurso atuando principalmente nos seguintes temas: discurso, enunciação, subjetividade, seguindo a perspectiva de Michel Foucault.

Interesses

Análise de discurso, o pensamento de Michel Foucault, teoria da literatura, voz e música popular.

Principais publicações

SOUZA, P. A produção discursiva da presença e a memória da voz , O documentário Nelson Gonçaves. In: Estudos no campo do discurso , Campinas, Mercado de Letras, 2016, v.01, p. 33-5

SOUZA, P. Da clivagem do corpo com o dizer. Voz e identidade em Maria Bethania. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.21, n. esp., |VIII SENALE|, p. 487-500, 2018

SOUZA, P. Foucault nosso próximo. Cadernos de Estudos Linguisticos., v.58, p.535 – 549, 2016.

SOUZA, P. A voz do dono e o dono da voz. o corpo posto em risco na batalha dos discursos In:Michel Foucault e as insurreições.É inútil revoltar-se?.1 ed.São Paulo : Intermeios, 2017, v.1, p. 296-302.

SOUZA, P. O sinthoma na voz sob o risco da enunciação sem sujeito In: Discurso e psicanálise: aversão do sentido.0Campinas :Pontes, Editores, 2016, v.01, p. 71-88.


RODRIGO ACOSTA PEREIRA [Lattes] [drigo_acosta@yahoo.com.br] [sala de atendimento –  210, CCE B]

Pesquisa

Interesso-me por pesquisas em Linguística Aplicada sob uma abordagem sócio-histórica de base dialógica. A partir disso, meus estudos seguem a filiação teórico-metodológica dos escritos de M. Bakhtin e o Círculo e das investigações contemporâneas do que se convencionou chamar, no Brasil, de Análise Dialógica do Discurso (ADD). A partir dessa perspectiva, as pesquisas que realizo são voltadas ao estudo do discurso em contextos escolares e não-escolares. Na primeira ancoragem, pesquiso como as práticas de linguagem (leitura, oralidade, produção de textos e prática de análise linguística/semiótica) são trabalhadas na esfera escolar. São investigadas questões sobre documentos legais e parametrizadores da Educação Básica, livros didáticos, livros paradidáticos, prática de elaboração didática e formação docente. Na segunda ancoragem, por sua vez, pesquiso sobre discursos e gêneros do discurso em diferentes esferas da atividade humana (jornalística, publicística, religiosa, política, artístico-literária, etc). São investigadas questões sobre a constituição e o funcionamento de discursos e gêneros do discurso à luz de aspectos voltados ao cronotopo, ideologia e valoração.

Perfil

Sou graduado em Letras – Licenciatura Plena em Língua Portuguesa e Língua Inglesa e respectivas Literaturas – pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestre em Linguística, na área de concentração Linguística Aplicada e Doutor em Linguística, na área de concentração Linguística Aplicada, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pós-doutor em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP).

 Principais publicações

ACOSTA PEREIRA, R. A prática de análise linguística mediada pelos gêneros do discurso: matizes sócio-históricos. Letrônica, v. 06, p. 494-520, 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/view/15020/11137

ACOSTA PEREIRA, R. Gêneros do discurso: esferas, archaica e constitutividade. Polifonia, v. 20, p. 54-72, 2013. Disponível em: http://www.periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/viewFile/629/1113

ACOSTA PEREIRA, R. O cronotopo do gênero carta de conselhos: imagens do tempo, do espaço e da autoria. Travessias (UNIOESTE. Online), v. 7, p. 252-284, 2013. Disponível em:

http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/9073/6868

ACOSTA PEREIRA, R; RODRIGUES, R. H . O conceito de valoração nos estudos do Círculo de Bakhtin: a inter-relação entre ideologia e linguagem. Linguagem em (Dis)curso, v. 14, p. 177-194, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ld/v14n1/11.pdf

ACOSTA PEREIRA, R.. A orientação sociológica para a análise da língua: posições metodológicas nos escritos do Círculo de Bakhtin. Letra Magna, v. 12, p. 01-20, 2016. Disponível em: http://www.letramagna.com/artigos_19/artigo_19_06.pdf

Interesses

Linguística Aplicada; Dialogismo; Discurso; Contextos escolares e não-escolares.

Mais de Rodrigo

Núcleo de Pesquisa: http://nela.cce.ufsc.br/

Grupo de Estudos: https://gelidufsc.wixsite.com/gelid


RONICE MÜLLER DE QUADROS [Lattes] [ronice.quadros@ufsc.br] [Página pessoal] [Página de pesquisa] [Página do Portal de Libras] [Bolsista PQ1C/CNPq]

Pesquisa

Consolidei o Núcleo de Aquisição de Línguas de Sinais (NALS) na Universidade Federal de Santa Catarina com dados longitudinais e experimentais de crianças surdas e crianças ouvintes bilíngues bimodais (2002-atual) e o Grupo de Pesquisa Corpus de Libras (2014-atual), integrante do Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ,  que está vinculado aos projetos de pesquisas envolvendo a documentação de Libras.Coordeno a consolidação do Inventário Nacional de Libras que inclui vários sub-projetos para composição da documentação da Libras, contando com financiamento do CNPQ e do Ministério da Cultura.  Estes projetos já estão sendo disponibilizados no atual Portal de Libras www.libras.ufsc.br, em especial, na página do www.corpuslibras.ufsc.br. Também faço parte do Projeto de Sobreposição de Línguas em Bilíngues Bimodais, que conta com financiamento parcial da NSF, em parceria com a University of Connecticut, relacionado com o projeto em crianças bilíngues bimodais http://bibibi.uconn.edu/index.html. Tenho experiência na área de Linguística, com ênfase em Psicolinguística e Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: língua de sinais brasileira,  aquisição da língua de sinais, bilinguismo bimodal, línguas de herança, educação de surdos e tradução e interpretação de língua de sinais.

Perfil

Sou professora e pesquisadora da Universidade Federal de Santa Catarina desde 2002 e pesquisadora do CNPQ – PQ1C, com pesquisas relacionadas ao estudo das línguas de sinais, desde 2006. Pedagoga (1992), Mestre (1995) e Doutora (1999) em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com estágio por 18 meses na University of Connecticut (1997-1998) com pesquisas voltadas para a gramática da Libras e a aquisição da Libras. Pós-doutora pela Gallaudet University e University of Connecticut (2009-2010) com pesquisas relacionadas ao desenvolvimento bilíngue bimodal (crianças usuárias de Libras e Português e crianças usuárias de ASL e Inglês), com financiamento da NIH e do CNPQ (2009-2014) e pós-doutora na Harvard University com pesquisas com as línguas de bilíngues bimodais (Libras e Português e ASL e Inglês), com financiamento do CNPQ (2015-2016).

Principais publicações

QUADROS, Ronice Muller de; LILLO-MARTIN, DIANE . Brazilian Bimodal Bilinguals as Heritage Signers. Languages, v. 3, p. 32-46, 2018.

NAPOLI, Donna Jo ; SPENCE, Rachel Sutton ; de Quadros, Ronice Müller . Influence of predicate sense on word order in sign languages: Intensional and extensional verbs. Language, v. 93, p. 641-670, 2017.

QUADROS, Ronice Muller de. Rethinking Teaching and Learning Practices in a Visual and Bilingual Setting. Journal of Deaf Studies and Deaf Education, v. 1, p. enw028-1, 2016.

PICHLER, Deborah Chen ; HOCHGESANG, J. A. ; LILLO-MARTIN, DIANE; QUADROS, Ronice Muller de ; REYNOLDS, Wanette . Best Practices for Building a Bimodal/Bilingual Child Language Corpus. Sign Language Studies, v. 16, p. 361-388, 2016.


QUADROS, Ronice Muller de
; Fleetwood, Earl (Org.) ; METZGER, Melanie (Org.) . Signed Language Interpreting in Brazil.  Washington, DC: Gallaudet University Press, 2012. v. 1. 114p .


QUADROS, Ronice Muller de
. Libras. Editora Parábola: São Paulo. 2019.

Interesses

Sign language studies, sign language grammar, bimodal bilingualism, sign language acquisition, language policies, deaf education, sign language translation and interpretation.

Mais de Ronice

https://libras.ufsc.br/

http://ronice.paginas.ufsc.br/

https://slla.lab.uconn.edu/bibibi/


ROSÂNGELA HAMMES RODRIGUES [Lattes] [hammes@cce.ufsc.br] [Página de pesquisa

Pesquisa

Minhas áreas de pesquisa são o ensino e aprendizagem de língua materna (português) e o discurso. Na primeira área, interessam-me as pesquisas que tomam o ensino da língua na perspectiva dos usos, ou seja, o domínio das praticas de linguagem, especialmente a leitura e a escrita; e na perspectiva da reflexão sobre a língua em articulação com/para o domínio das práticas de linguagem. Na segunda áreas, são objeto de pesquisa os discursos da mídia, pela sua relação com a escola nas aulas de leitura. A base teórica são os estudos dialógicos da linguagem.

Perfil

Sou formada em Letras – Português (licenciatura) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), instituição em que também cursei o Mestrado. Realizei meu doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Fiz estágio pós-doutoral na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e na Universidade do Minho (UMinho).

Tenho experiência docente na Educação Básica e na Educação Superior.  Fui editora de periódicos científicos (Fórum Linguístico e Working Papers em Linguística). Atuei e atuo em Programas do MEC,  dentre os quais o de formação de professores e o Programa Nacional do livro didático e do Material Didático (PNLD).

Principais publicações

RODRIGUES, Rosângela Hammes; ACOSTA-PEREIRA, Rodrigo (Org.). Práticas de linguagem na esfera escolar. São Carlos: Pedro & João Editores, 2018.

RODRIGUES, Rosângela Hammes; ACOSTA-PEREIRA, Rodrigo (Org.). Estudos dialógicos da linguagem e Linguística Aplicada. São Carlos: Pedro & João Editores, 2016.

RODRIGUES, Rosângela Hammes. As políticas linguísticas educacionais e a problemática do paradoxo do acesso às práticas letradas e da inclusão social: Interpretações à luz dos estudos da linguística aplicada. Fórum Linguistico (Online), v. 13, p. 1444-1452, 2016.

RODRIGUES, Rosângela Hammes Os gêneros do discurso nas aulas de Língua Portuguesa: (re)discutindo o tema. In: Elvira Lopes Nascimento; Roxane Helena Rodrigues Rojo. (Org.). Gêneros de texto/discurso e os desafios da contemporaneidade. Campinas: Pontes, 2014, v. 1, p. 35-56.

RODRIGUES, Rosângela Hammes Contribuições dos estudos de gêneros do discurso para os estudos da língua. In: DI FANTI, Maria da Glória; BARBISAN, Leci Borges. (Org.). Enunciação e discurso: tramas de sentidos. São Paulo: Contexto, 2012, v. 1, p. 103-116.

RODRIGUES, Rosângela Hammes Os gêneros do discurso na perspectiva dialógica da linguagem: a abordagem do círculo de bakhtin. In: Adair Bonini; José Luiz Meurer; Désirée Mora-Roth. (Org.). Gêneros: teoria, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2005, v. , p. 152-183.

Interesses

Ensino e aprendizagem de língua materna, com ênfase na leitura e na escrita, material didático, formação de professores, discurso midiático.


ROSÂNGELA PEDRALLI [Lattes] [rosangelapedralli@hotmail.com]

Pesquisa

Mantenho, atualmente, dois projetos de pesquisa: Educação Linguística na perspectiva histórico-cultural: conhecimento e formação humana e A apropriação da escrita em processos de alfabetização: relações entre materialismo histórico-dialético, psicologia histórico-cultural e pedagogia histórico-crítica. Em linhas gerais, pesquiso Educação Linguística na Formação Humana pela Escola de Vigotski, numa ancoragem filosófica marxista, portanto. Há, em minha trajetória de pesquisa, alguma inclinação à alfabetização, sem, contudo, descurar da investigação sobre a apropriação e o ensino de Língua Portuguesa ao longo de todo o percurso formativo, incluindo o Ensino Superior. Sou vice-líder do Grupo de Estudos Cultura Escrita e Escolarização (CNPq/UFSC), vinculado ao NELA (UFSC) – Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada –, e faço parte do Grupo de Estudos e Pesquisas Escola de Vigotski – GEPEVI.

Perfil 

Sou graduada em Letras Português pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre e Doutora em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atuei como professora-formadora no Pró-Letramento Linguagem (2010-2012), docente-executiva de Língua Portuguesa na Atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina (2014) e coordenadora adjunta de Linguagem e supervisora do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) (2013-2018). Atualmente, sou professora adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, docente permanente no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC e do Mestrado Profissional em Letras/UFSC.

Principais publicações

PEDRALLI, Rosângela. O lema “partir da realidade dos sujeitos” e organização de ações didático-pedagógicas em um exercício de atenção às vivências dos alunos. Revista Brasileira de Alfabetização, v. 1, p. 107-130, 2017.
PEDRALLI, Rosângela; DALLAGNELO, A. C. K. (Orgs.). A relevância da perspectiva histórico-cultural vigotskiana para profissionais ocupados com educação escolar em linguagem. 4. ed. Florianópolis: Fórum Linguístico, 2016. v. 1. 128p.

PEDRALLI, Rosângela. Da rarefação ao apagamento da modalidade escrita da língua em classe de Alfabetização de Jovens e Adultos: uma análise de ações didático-pedagógicas dissociadas de eventos de letramento. EJA em debate, v. 3, p. 77-99, 2014.

DISTÉFANO, Elisa Gugelmin; MACHADO, N. A. F.; PEDRALLI, Rosângela. Fonoaudiologia e Educação de Jovens e Adultos. In: Irene Queiroz Marchesan. (Org.). Tratado de Fonoaudiologia. 0São Paulo: Roca, 2014, v. 01, p. 478-487.
PEDRALLI, Rosângela; CERUTTI-RIZZATTI, Mary Elizabeth. Evasão escolar na educação de jovens e adultos: problematizando o fenômeno com enfoque na cultura escrita. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 13, p. 771-788, 2013.

Interesses

Educação Linguística na Formação Humana pela Escola de Vigotski.

Mais de Rosângela

https://nela.cce.ufsc.br/


ROSELY PEREZ XAVIER [Lattes] [rosely@ced.ufsc.br]

Perfil

Tenho mestrado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na área de Ensino e Aprendizagem de LE. De 1992 a 2017, trabalhei como professora de Metodologia do Ensino de Inglês e de Estágio Supervisionado no curso de licenciatura em Letras-Inglês da UFSC. Alguns projetos importantes que coordenei foram: (a) o projeto Pibid-Inglês UFSC, que integra o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, patrocinado pela CAPES, (b) o projeto institucional de formação continuada de professores de Inglês de Santa Catarina, financiado pela Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação, e (c) o projeto T4T, que foi desenvolvido para disponibilizar aos professores de inglês temas e atividades de ensino para a sala de aula, resultando na criação do sítio www.t4tenglish.ufsc.br.

Pesquisa

Minhas áreas de interesse são: ensino-aprendizagem de LE/L2, formação de professores e material didático. Na primeira área, interesso-me, particularmente, pelo ensino baseado em tarefas, pela instrução focada na forma e por estratégias explícitas e implícitas de ensino. Tenho analisado o efeito de certas sequências de tarefas na aprendizagem de elementos linguísticos, funcionais e pragmáticos da língua inglesa com alunos brasileiros aprendendo inglês como LE em escolas de educação básica. Na área de educação de professores, meu interesse reside na prática docente. Também tenho interesse na relação entre jogos educativos e aprendizagem de LE/L2.

Principais publicações

XAVIER, R. P. Metodologia do ensino de inglês. Florianópolis: LLE/ CCE/ UFSC, 2011. 186p.

XAVIER, R. P.; DELLAGNELO, A. C. K. Sala de aula comentada. Florianópolis: UFSC/CCE, 2014. DVD.

XAVIER, R. P. (Org.). Themes for teaching English. Vol. 2. Florianópolis: UFSC/CED/NUP, 2015. 197p.

XAVIER, R. P.; FONSÊCA, A. T. WEB 2.0 e aprendizagem de LE: Uma revisão de literatura entre 2005 e 2012 em periódicos nacionais. In: JORDÃO, Clarissa Menezes. (Org.). A Linguística Aplicada no Brasil: Rumos e passagens. Editora Pontes: Campinas, 2016, p. 387-415.

FREITAS, P. G. de; XAVIER, R. P. O Efeito de duas abordagens de ensino na produção escrita de alunos de italiano como língua estrangeira. D.E.L.T.A., v. 33, n. 4, p. 1209-1233, 2017.

Interesses

F/SL teaching, learning and acquisition; Task design; Educational games.

Arquivos para download

XAVIER, 2007 – Language tasks and exercises

Artigo –  O que os alunos pensam sobre o livro didático de inglês? 

Artigo – O tempo no agir docente: algumas reflexões para a formação de professores de línguas 

XAVIER; CAMARGO, 2015 – O desempenho de alunos em prática repetida

Artigo – Uma análise de necessidades de recepcionistas de hotel para a construção de um programa de ensino de língua estrangeira baseado em tarefas

Mais de Rosely

www.t4tenglish.ufsc.br

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8370 – Research group: Material didático: uso e aprendizagem


SANDRA QUAREZEMIN [Lattes] [quarezeminsandra@gmail.com] [ sala de atendimento – sala 209, CCE – bloco B] [Bolsista PQ2/CNPq]

Pesquisa

Sou bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq – PQ 2 e lidero, desde 2010, o grupo de pesquisa do CNPq Teoria da Gramática e o Português Brasileiro. Pesquisadora do Núcleo de Estudos Gramaticais da UFSC (https://neg-ufsc.org/). Coordeno o Projeto Romania Nova na ALFAL junto com os professores Francisco Ordóñez (Stony Brook University) e Andrés Saab (Universidade de Buenos Aires). Desenvolvo dois projetos de pesquisa, um inserido na sintaxe cartográfica e outro na aquisição da sintaxe. Tenho interesse nos estudos que envolvam a sintaxe do sujeito pré-verbal e a periferia esquerda da sentença (foco, tópico, clivadas, interrogativas, etc.). Também me interesso pelo ensino de gramáticas nas escolas.

Perfil

Professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atuo na área de Teoria e Análise Linguística, especificamente na Sintaxe Gerativa. Sou mestre e doutora em Teoria e Análise Linguística pela UFSC. Realizei um ano de doutorado sanduíche na Università Degli Studi di Siena, bolsista CNPq, sob a orientação da profa. Dra. Adriana Belletti (2008-2009). Fiz um ano de pós-doutorado na Università Ca’Foscari (UNIVE) – Venezia, bolsista Capes, sob a supervisão da Profa. Dra. Anna Cardinaletti (2016-2017). Na ocasião, também atuei como Visiting Professor no Dipartimento di Studi Linguistici e Culturali Comparati da UNIVE.

ResearcherID: C-8401-2018; ORCID:http://orcid.org/0000-0002-8570-5389

Principais publicações

QUAREZEMIN, Sandra. Brazilian double subjects and sentence structure. In: PIRES DE OLIVEIRA, R.; EMMEL, I.; QUAREZEMIN, S. (Eds.). Brazilian Portuguese, Syntax and Semantics – 20 years of Núcleo de Estudos Gramaticais. Linguistik Aktuell/Linguistics Today (LA), John Benjamins Publishing Company, p. 113-140, 2020.

QUAREZEMIN, Sandra. Uma introdução à Periferia-vP: foco e tópico. In: TESCARI NETO, A.; QUAREZEMIN, S. (Orgs.). A Sintaxe do Português Brasileiro em perspectiva Cartográfica. Campinas: Pontes Editores, 2020.

QUAREZEMIN, Sandra. Um novo olhar sobre as sentenças com redobro em português brasileiro. Revista da ANPOLL, vol 1, n. 48, p. 53-63, 2019.

QUAREZEMIN, Sandra. CARDINALETTI, Ana. Non-topicalized preverbal subjects in Brazilian Portuguese, compared to Italian. Rivista Annali di Ca’ Foscari. Serie occidentale, p. 383- 409, 2017.

QUAREZEMIN, Sandra. A arquitetura da sentença no Português Brasileiro: considerações sobre Sujeito e Tópico. Revista Letras, v. 96, p. 196-218, 2017.

PIRES DE OLIVEIRA, Roberta; QUAREZEMIN, Sandra. Gramáticas na escola. Petrópolis: Vozes, 2016.

Interesses

Sintaxe formal; Sintaxe infantil; Aquisição L2; Gramática e ensino.

Mais de Sandra

https://neg-ufsc.org/


Sandro Braga [Lattes] [sandrocombraga@gmail.com]

Pesquisa

A partir da implantação e da coordenação do Laboratório de Escrita Acadêmica e Leituras – LABEAL/UFSC, desenvolvo pesquisa sobre a escrita acadêmica. O foco é a escrita acadêmica produzida pelo aluno na e para a universidade, uma escrita que se inscreve na interface dos discursos científico e pedagógico. A ideia é de que o laboratório, por um lado, sirva de espaço em que o texto escrito possa estar submetido a constante processo de reflexão tanto no que tange à leitura como à escrita e à reescrita, durante os atendimentos à comunidade universitária e, por outro, a partir de dados coletados nos atendimentos, possamos desenvolver pesquisa no âmbito do discurso com vistas à compreender como o texto acadêmico é produzido na universidade e quais possíveis efeitos de sentido ele suscita. Coordeno, com o Atílio Buturi Junior, o Grupo de Estudos no Campo Discursivo (CNPq/UFSC) e faço parte do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada (NELA/UFSC).

Perfil 

Sou graduado em Jornalismo (UFSC-1998) e licenciado em Letras Português (UFSC-2011); mestre em Linguística na área da análise do discurso (UFSC-2001); doutor em Linguística no campo da filosofia da linguística (UFSC-2007). Além do PPGL, na graduação, atuo no Departamento de Língua e Literatura Vernáculas na área da Análise do Discurso e da produção textual dos gêneros da esfera acadêmica e profissional. Atualmente, faço formação em Psicanalise na Escola Brasileira de Psicanálise.

Principais publicações

BRAGA, Sandro. O travesti e a metáfora da modernidade. Palhoça-SC: Editora Unisul, 2010. 216p.

BRAGA, Sandro. Por uma transverdade do sujeito. In: Giovanna G. Benedetto Flores; Nádia Régia Maffi Neckel; Solange Maria Leda Gallo; Suzy Lagazzi; Claudia Castellanos Pfeiffer; Mônica G. Zoppi-Fontana. (Org.). Análise de discurso em rede: cultura e mídia. Campinas: Pontes, 2019, v. 4, p. 223-237.

BRAGA, Sandro. A contradição do dizer de uma verdade trans. In: Atílio Butturi Junior; Cesar Candiotto; Pedro de Souza; Sandra Caponi. (Org.). Foucault e as práticas de liberdade I: o vivo e os seus limites. Campinas: Pontes, 2019, p. 229-248.

BRAGA, Sandro. A guerra de todos nós no discurso do (eu): violência e contradição no cenário da política e da democracia brasileiras. In: Cleudemar Alves Fernandes. (Org.). A violência na contemporaneidade: do simbólico ao letal. São Paulo: Intermeios, 2017, p. 63-84.

BRAGA, Sandro; SENEM, Janaína. A escrita acadêmica do aluno na universidade: na tensão dos discursos científico, acadêmico e pedagógico. In: Giovanna G. Benedetto; Solange Maria Leda Gallo; Suzy Lagazzi; Nádia Régia Maffi Neckel; Claudia Castellanos Pfeiffer; Mónica Zoppi-Fontana. (Org.). Análise de Discurso em Rede: cultura e mídia. Campinas: Pontes Editores, 2017, v. 3, p. 347-363.

BRAGA, Sandro. Como o sujeito se inscreve ao escrever na universidade numa perspectiva dialógica. In: Eliane G. Lousada; Anise D’O. Ferreira; Luzia Bueno; Roxane Rojo; Solange Aranha; Lília Abreu-Tardelli. (Org.). Diálogos brasileiros nos estudo de gêneros textuais/discursivos. Araraquara: Letraria, 2016, p. 572-594.

BRAGA, Sandro; PEREIRA, Fabiane Aparecida. A escrita na formação de professores de língua portuguesa. SCRIPTA, v. 23, p. 27-40, 2019.

BRAGA, Sandro; LORENSET, Rossaly Beatriz Chioquetta; Prison Subjects: appointments and effects of meaning. SIGNUM [LONDRINA]: ESTUDOS DE LINGUAGEM, v. 22, p. 67-87, 2019.

BRAGA, Sandro; SANTOS, Miriam Ramos. ‘Sou surda, mas…’ construção discursiva e inscrição do sujeito surdo na escrita de si. Percursos Linguísticos (UFES), v. 8, p. 185-200, 2018.

Interesses

Interesso-me por temas de pesquisas em análise do discurso e psicanálise em torno de questões que envolvam subjetividade e escrita.

Textos para download

https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2017v14n4p2685

http://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/19163

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/36322

http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/19734

http://linguagem.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/pesquisa/2008cili.pdf

http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/3256


VALTER PEREIRA ROMANO [Lattes] [valter.pereira.romano@gmail.com] [sala de atendimento 411, CCE Bloco B]

Pesquisa

Minhas pesquisas centram-se em análise e descrição do português brasileiro com ênfase em atlas linguísticos e estudos de natureza sociodialetológica. Sou um dos diretores científicos do Projeto ALiB – Atlas Linguístico do Brasil (Regional Sul) e integrante da Comissão de Informática e Cartografia desse Projeto. Meus estudos tratam, sobretudo, de temas como variação lexical, áreas dialetais e cartografia linguística. Sou um dos autores do programa SGVCLin® [Software para Geração e Visualização de Cartas Linguísticas].

Perfil

Sou doutor em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina (UEL, 2015), com tese intitulada “Em busca de falares a partir de áreas lexicais no centro-sul do Brasil”, mestre em Estudos da Linguagem (UEL, 2012) com o trabalho “Atlas Geossociolinguístico de Londrina: um estudo em tempo real e tempo aparente” e licenciado em Letras Vernáculas (UEL, 2010). Atuo no ensino superior desde 2012 com atividades de ensino, pesquisa e extensão na orientação de alunos de graduação e pós-graduação.

Interesses

Atlas linguísticos; Descrição de falares; Pesquisa sociodialetológica.

Principais publicações

ROMANO, V. P. Áreas lexicais brasileiras: um novo olhar sobre a proposta de Antenor Nascentes nos dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil. Revista Linguística (Online), v. 34, p. 117-145, 2018.

ROMANO, V. P.; SEABRA, R. D. Do presente para o passado: a variação lexical em Minas Gerais a partir de corpora geolinguísticos sobre brinquedos infantis. Revista de Estudos da Linguagem, v. 25, p. 111-150, 2017.

ROMANO, V. P.. Áreas lexicais no Centro-Sul do Brasil sob uma perspectiva geolinguística. Revista de Estudos da Linguagem, v. 26, p. 103-145, 2017.

AGUILERA, V. de A.; ROMANO, V. P. (org.)  A Geolinguística no Brasil: caminhos percorridos, horizontes alcançados. 1. ed. Londrina: EDUEL, 2016. v. 1. 426p .

ROMANO, V.  P.; SEABRA, R. D. ; OLIVEIRA, N. . [SGVCLin] – Software para geração e visualização de cartas linguísticas. Revista de Estudos da Linguagem, v. 22, p. 119-151, 2014.

Mais de Valter

Projeto ALiB

Projeto ALiB – Regional Sul

SGVCLin


PROFESSORA VISITANTE | KAROLINA BIELENIN-LENCZOWSKA (Universidade de Varsóvia)  [Lattes] [k.bielenin@gmail.com]

Pesquisa

Entre 2008-2014, realizei pesquisas etnográficas na República da Macedônia e na Itália, enfocando as diárias práticas transnacionais, relações de vizinhança multi-étnica, o Islã e o gênero. Atualmente, coordeno dois projetos de pesquisa: o patrimônio cultural de brasileiros de origem polonesa no sul do Brasil, focando em linguagem e práticas alimentares e sobre domar o espaço entre migrantes e refugiados e a paisagem sociolinguística na área de Varsóvia.

Perfil

Tenho mestrado em estudos poloneses (Universidade de Varsóvia 2002) e antropologia (UV, 2004) (UFSC, 2003), doutorado em Linguística (UV, 2007), e pós-doutorado em Antropólogia  (UV, 2016). Realizei Estágio de Pós-Doutorado no Departamento de Antropologia, sob a supervisão da professora Dra. Carmen Rial (2015-2016). Atualmente sou professora de antropólogia na Universidade de Varsóvia e Professora Visitante no Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC.

Principais publicações

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina; HRYCIUK, Renata. (org.). Food and mobility in anthropological perspective. Special issue of Studia Socjologiczne, n.4, 2018.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina. Pierogi z fiżonem. Praktyki jedzeniowe i tożsamość Brazylijczykow polskiego pochodzenia w południowobrazylijskiej wsi [Dumplings with black bean. Food practices and identity of Brazilians of Polish origin in the South-Brazilian village], Studia migracyjne – Przegląd Polonijny, v. 44, n. 1, p. 23-47, 2018.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina; STARPOR, I. Lingua como patrimonio cultural. Praticas linguisticas dos descendentes dos poloneses no Sul do Brasil, Revista del CESLA, n, 20, p. 39-56, 2018.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina. Spaghetti z ajwarem. Translokalna codzienność muzułmanow w Macedonii i we Włoszech (Spaghetii with ajvar. Translocal everyday life of Muslims in Macedonia and in Italy). Warsaw: Warsaw University Press, 2015.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina (org.). Anthropology of Continuity and Change. Macedonian Poreche 80 years afterJozef Obrebski rerearch, Warsaw: Slavic Publication Centre, 2015.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina. The in-between Generation. Immigrants and the Problem of a Dual Sense of Belonging, Colloquia Humanistica, n. 3, p. 37-56, 2014.

BIELENIN-LENCZOWSKA, Karolina. Rodzina, rod, pokrewieństwo w perspektywie lingwistyczno-antropologicznej (Family, kin and kinship in a perspective of linguistic anthropology), Warsaw: Wydawnictwo Wydziału Polonistyki, 2008.

Interesses

Migração e diáspora, metodologia etnográfica, antropologia social e linguística, ideologias de linguagem, paisagem sociolinguística.

Mais de Karolina

https://uw.academia.edu/KarolinaBieleninLenczowska